Visualizações de página do mês passado

sexta-feira, 6 de maio de 2011

MAE RAZAO DA MINHA VIDA




Esta palavra deveria significar , feriado mundial , nacional , parar o mundo, por varios dias, em homenagem a esta mulher, a qual dedico todo meu carinho , respeito e atencao ,uma mae e uma fera, aquela que nao abandona sua cria , mata e morre por ela , a que nao admite ver seu filho ser humilhado , chingado ,nao admite que ninguem faça mal , uma mae que recebe em seu lar um filho gay e a mulher preparada para entrar numa guerra. e dela sair vitoriosa pois ela sofre junto, com ele , ela ver cada dia seu filho infeliz e ver ,sofrer e nao poder fazer nada ,entao vc se sofre, para protege-la, e ela sofre, para te proteger;



mais como esta escrito , no futuro proximo ela vai colher o fruto do seu sacrificio , ela jamais sera abandonada na sua velhice, por este filho , ele jamais permitira que sua mae seja jogada num azilo , que sua mae sofra , que sua mae nao tenha uma velhice sossegada, por que acredito eu que o gay veio com esta missao proteger, e cuidar daquela que um dia lhe deu a vida e nao permitir que ninguem maltrate, sua heroina ,que um dia foi capaz de salva-lo da maldade do mundo, entao mae te amo obrigado por vc entender que eu sou do jeito que sou mais o meu amor por ti e maior do que tudo isso que e uma fase que superei que hoje sou feliz como sou e agradeco a voce por ter me dado todo suporte que hoje sei usa-lo te amo do fundo do meu coracao



SER MÃE

A missão de ser mãe quase sempre começa com alguns meses de muito enjôo, seguido por anseios incontroláveis por comidas estranhas, aumento de peso, dores na coluna, o aprimoramento da arte de arrumar travesseiros preenchendo espaços entre o volume da barriga e o resto da cama.

Ser mãe é não esquecer a emoção do primeiro movimento do bebezinho dentro da barriga.

O instante maravilhoso em que ele se materializou ante os seus olhos, a boquinha sugando o leite, com vontade, e o primeiro sorriso de reconhecimento.

Ser mãe é ficar noites sem dormir, é sofrer com as cólicas do bebê e se angustiar com os choros inexplicáveis: será dor de ouvido, fralda molhada, fome, desejo de colo?


É a inquietação com os resfriados, pânico com a ameaça de pneumonia, coração partido com a tristeza causada pela morte do bichinho de estimação do pequerrucho.

Ser mãe é ajudar o filho a largar a chupeta e a mamadeira. É levá-lo para a escola e segurar suas mãos na hora da vacina.

Ser mãe é se deslumbrar em ver o filho se revelando em suas características únicas, é observar suas descobertas.

Sentir sua mãozinha procurando a proteção da sua, o corpinho se aconchegando debaixo dos cobertores.


É assistir aos avanços, sorrir com as vitórias e ampará-lo nas pequenas derrotas. É ouvir as confidências.

Ser mãe é ler sobre uma tragédia no jornal e se perguntar: E se tivesse sido meu filho?

E ante fotos de crianças famintas, se perguntar se pode haver dor maior do que ver um filho morrer de fome.

Ser mãe é descobrir que se pode amar ainda mais um homem ao vê-lo passar talco, cuidadosamente, no bebê ou ao observá-lo sentado no chão, brincando com o filho.

É se apaixonar de novo pelo marido, mas por razões que antes de ser mãe consideraria muito pouco românticas.


É sentir-se invadir de felicidade ante o milagre que é uma criança dando seus primeiros passos, conseguindo expressar toscamente em palavras seus sentimentos, juntando as letras numa frase.

Ser mãe é se inundar de alegria ao ouvir uma gargalhadinha gostosa, ao ver o filho acertando a bola no gol ou mergulhando corajosamente do trampolim mais alto.

Ser mãe é descobrir que, por mais sofisticada que se possa ser, por mais elegante, um grito aflito de mamãe a faz derrubar o suflê ou o cristal mais fino, sem a menor hesitação.

Ser mãe é descobrir que sua vida tem menos valor depois que chega o bebê.

Que se deseja sacrificar a vida para poupar a do filho, mas ao mesmo tempo deseja viver mais – não para realizar os seus sonhos, mas para ver a criança realizar os dela.


É ouvir o filho falar da primeira namorada, da primeira decepção e quase morrer de apreensão na primeira vez que ele se aventurar ao volante de um carro.

É ficar acordada de noite, imaginando mil coisas, até ouvir o barulho da chave na fechadura da porta e os passos do jovem, ecoando portas adentro do lar.

Finalmente, é se inundar de gratidão por tudo que se recebe e se aprende com o filho, pelo crescimento que ele proporciona, pela alegria profunda que ele dá.

Ser mãe é aguardar o momento de ser avó, para renovar as etapas da emoção, numa dimensão diferente de doçura e entendimento.


É estreitar nos braços o filho do filho e descobrir no rostinho minúsculo, os traços maravilhosos do bem mais precioso que lhe foi confiado ao coração: um Espírito imortal vestido nas carnes de seu filho.
* * *
A maternidade é uma dádiva. Ajudar um pequenino a desenvolver-se e a descobrir-se, tornando-se um adulto digno, é responsabilidade que Deus confere ao coração da mulher que se transforma em mãe.

E toda mulher que se permite ser mãe, da sua ou da carne alheia, descobre que o filho que depende do seu amor e da segurança que ela transmite, é o melhor presente que Deus lhe deu.
.



Mãe, sua bondade e ternura falam-me de Deus-amor!

Mãe, você me faz sentir a vida, a beleza das cores, a harmonia, o encanto e a doçura!

Mãe, hoje quero dizer-lhe um segredo muito especial: eu a adoro!

Eu sei também que, de seu coração, brota sempre um gesto novo de amor e carinho! Você é capaz de esquecer o sofrimento e a dor para me ver feliz!

Hoje, quero fazer por você uma prece muito bonita e sincera: Meu Deus, abençoa esta criatura tão encantadora que me deu a vida. Abençoa esta mulher, amiga, minha mãe, hoje e sempre!

Mãe, você é o maior bem que eu tenho neste mundo! Olhando o céu aberto, contemplo o grande tesouro de paz, sabedoria, paciência, bondade, ternura e acolhimento que permeia o seu ser.


Você me faz crer, minha mãe, que esta vida vale a pena ser vivida, quando entregue por amor! Às vezes, quando a vida começa a ficar mais difícil, pensando em você, mãe, surge uma nova esperança e meu olhar começa a brilhar.

Você sempre espera de braços abertos o filho e a filha que precisam mais uma vez do seu aconchego, de sua compreensão e carinho, como se fosse a primeira vez.

Mãe! Presente de Deus para minha vida!

Mãe, recebe hoje meu abraço e todo o meu carinho!

E, agora, gostaria que o meu agradecimento soasse mais forte do que todos os dias, porque hoje, mãe, é o seu dia!







Mãe é uma só que a gente tem no mundo
Mãe é o amor mais puro e mais profundo
Oh! minha santa mãezinha que tantas vezes eu vi chorar
Aqui vim para dizer-te que sempre, sempre hei de te amar

Mãe, pensar que um dia poderás faltar-me
Mãe pensando nisso vivo a lamentar-me
Por isso nas minhas preces venho pedir ao Criador
Que nunca, nunca me falte o teu carinho, o teu amor
declamado:
("Mãe, o amor mais puro é o amor do teu coração
É puro como a água cristalina da fonte
É como o cantar dos pássaros ao amanhecer de um novo dia
É como um botão de rosa que desabrocha na primavera
E nem todo o amor deste mundo se o mesmo pudesse eu dar-te
Jamais poderia pagar tanto carinho de mãe, tanta dedicação")


Oh! minha santa mãezinha que tantas vezes eu vi chorar
Aqui vim para dizer-te que sempre, sempre hei de te amar




Ela é a dona de tudo,
Ela é a rainha do lar,
Ela vale mais para mim,
Que o céu, que a terra, que o mar,
Ela é a palavra mais linda,
Que um dia o poeta escreveu,
Ela é o tesouro que o pobre,
Das mãos do senhor recebeu,



Mamãe, mamãe, mamãe,
Tu és a razão dos meus dias,
Tu és feita de amor e esperança,
Ai, ai, ai, mamãe,
Eu cresci o caminho perdi
volto a ti e me sinto criança
mamãe, mamãe, mamãe,
Eu te lembro chinelo na mão,
O avental todo sujo de ovo,
Se eu pudesse,
Eu queria outra vez mamãe,
Começar tudo, tudo de novo




às Mães que apesar das canseiras, dores e trabalhos, sorriem e riem, felizes, com os filhos amados ao peito, ao colo ou em seu redor; e às que choram, doridas e inconsoláveis, a sua perda física, ou os vêem “perder-se” nos perigos inúmeros da sociedade violenta e desumana em que vivemos;
- às Mães ainda meninas, e às menos jovens, que contra ventos e marés, ultrapassando dificuldades de toda a ordem, têm a valentia de assumir uma gravidez - talvez inoportuna e indesejada – por saberem que a Vida é sempre um Bem Maior e um Dom que não se discute e, muito menos, quando se trata de um filho seu, pequeno ser frágil e indefeso que lhe foi confiado;



- às Mães que souberam sacrificar uma talvez brilhante carreira profissional, para darem prioridade à maternidade e à educação dos seus filhos e às que, quantas vezes precisamente por amor aos filhos, souberam ser firmes e educadoras, dizendo um “não” oportuno e salvador a muitos dos caprichos dos seus filhos adolescentes;
- às Mães precocemente envelhecidas, gastas e doentes, tantas vezes esquecidas de si mesmas e que hoje se sentem mais tristes e magoadas, talvez por não terem um filho que se lembre delas, de as abraçar e beijar...;
- às Mães solitárias, paradas no tempo, não visitadas, não desejadas, e hoje abandonadas num qualquer quarto, num qualquer lar, na cidade ou no campo, e que talvez não tenham hoje, nem uma pessoa amiga que lhes leia ao menos uma carta dum filho...;




- também às Mães que não tendo dado à luz fisicamente, são Mães pelo coração e pelo espírito, pela generosidade e abnegação, para tantos que por mil razões não tiveram outra Mãe...e finalmente, também às Mães queridíssimas que já partiram deste mundo e que por certo repousam já num céu merecido e conquistado a pulso e sacrifício...
A todas as Mães, a todas sem excepção, um Abraço e um Beijo cheios de simpatia e de ternura! E Parabéns, mesmo que ninguém mais vos felicite! E Obrigado, mesmo que ninguém mais vos agradeça!

A mãe que se acorrentou para conseguir uma vaga em escola para o filho vai ganhar um auxílio da prefeitura de São José dos Campos.


Raquel se reuniu nesta manhã com o secretário municipal de educação. Ficou acertado que ela será inscrita em um programa de qualificação da prefeitura. A mãe irá ganhar 500 reais mensais e vai poder pagar o transporte escolar do filho de 11 anos. Ela alegava que estava desempregada e não tinha como pagar uma perua.

Por isso ficou acorrentada por oito horas a um banco da escola municipal Ruth Nunes, no Bairro Interlagos. Raquel queria a transferência da criança para a unidade escolar, que fica mais próximo da casa da família. "Essa atitude de desespero que ela teve ontem acabou sendo positivo pra gente aumentar o nível de informação dela", afirmou o secretrário municipal de educação Alberto Marques Filho.


"Isso não é só pra mim. Tem que procurar informação e ir atrás", disse Raquel. O filho de Raquel também deve começar a estudar em uma unidade da fundhas o segundo semestre.




Há alguns anos, um menino decidiu ir nadar num lago atrás de sua casa. Na pressa de mergulhar na água fresca, ele foi correndo, deixando para trás os sapatos, as meias e a camisa. Porém, ao cair na água, ele não percebeu que um jacaré estava deixando a margem do lago e indo em sua direção.
Sua mãe, em casa, olhava pela janela enquanto os dois estavam cada vez mais perto um do outro. Apavorada, a mulher correu para o lago, gritando para o filho o mais alto que conseguia. - Filho! Filho! cuidado!... volte! saia da água.... rápido!Ao ouvir a voz da mãe, o menino se assustou e começou a nadar na direção dela.
Mas já era tarde. Assim que o menino chegou perto da mãe, o jacaré também o alcançou.



A mãe agarrou o filho pelos braços enquanto o jacaré o abocanhou pelos pés. O animal era muito mais forte do que a mulher, mas o amor pelo filho, lhe dava forças para não deixá-lo ser levado por aquele bicho perigoso. O desespero de mãe e filho parecia não ter fim, até que, um fazendeiro, que passava por perto, ouviu os gritos, pegou uma arma e matou o jacaré.



Após semanas no hospital, como um milagre, o pequeno menino sobreviveu. Seus pés ficaram completamente machucados pelo ataque do animal, e, em seus braços, continuavam também as marcas profundas, onde as unhas da mãe estiveram cravadas enquanto lutava para salvar o filho amado.
Um repórter que entrevistou o menino após o trauma, perguntou se ele podia mostrar suas cicatrizes.
A criança, inocentemente, mostrou seus pés.O repórter ficou chocado com o que viu. Porém, o menino falou orgulhoso:
- Mas olhe em meus braços! Eu tenho também grandes cicatrizes nos meus braços porque minha mãe não deixou o jacaré me levar. LIÇÃO DE VIDA:



Se você está passando por momentos difíceis, talvez o que está lhe causando dor seja Deus, cravando-lhe suas unhas, para não lhe deixar ir. Mesmo no meio de muitas lutas, Ele nunca vai abandonar você. E com certeza, vai fazer o que for necessário para não lhe perder, ainda que para isso, seja preciso deixar-lhe algumas cicatrizes.




UMA PIADA SOBRE O TEMA MAE PARA DESCONTRAIR

Júnior levou um baita susto, quando logo pela manhã a mãe, de sopetão, entra em seu quarto; era sábado e ela o acorda às 09:00hs abrindo a janela e erguendo cortinas. Ele ajeita-se na cama e olha para mãe que com ar preocupado e olhar condescendente diz:
_ Júnior, eu sou sua mãe, sempre lhe apoiei, te amo, e compreendo. Eu quero ouvir de você meu filho: Você é?
_Que é isso mãe? Tá louca? Que história é essa?
_Júnior, eu sou sua mãe, lhe aceito do jeito que você for, já encontrei evidências, já me contaram e foi pessoa séria quem falou. Eu vou continuar te amando, te apoiando, te respeitando do mesmo jeito. Eu só quero que você me diga meu filho. É verdade?
_Mãe, tão enchendo a cabeça da senhora, isso não tem fundamento não. Agora a senhora vai ficar acreditando nesse povo?



A tensão era grande, Júnior já com taquicardia e o sono tinha passado de vez!

_Júnior, meu filho, eu vou perguntar pela terceira e última vez. Se eu tiver que saber, prefiro que seja dito por você, e a hora é agora. Se você não me contar agora, e eu souber depois vou ficar muito desapontada. Você é meu filho e ninguém te ama mais do que eu. Eu vou te dar todo apoio e te entender. Você sabe que o que eu puder fazer por você eu faço, então é última vez que eu pergunto: Meu filho, você é?

Pausa que parecia ser eterna, Júnior cabisbaixo, ergue os olhos, encara a mãe e dispara:



_Tá bom mãe, já que um dia a senhora ia saber mesmo, então tá: eu sou, eu sou gay sim!

Se Júnior tinha se assustado ao acordar, quase cai da cama com o alto brado retumbante da mãe:
_O quêê???? Que história é essa? Que eu tava sabendo é que você era maconheiro, mas filho gay, eu não aceito nãããão!!!




Ser mãe não é padecer no Paraíso,
ser mãe é "padecer" e alegrar-se na Terra mesmo...!Ser mãe é não ser mais dona do seu horário.
Ser mãe é ter hora prá acordar
e não ter hora prá dormir.
Ser mãe é acordar de madrugada.
Ser mãe é ter paciência para as brincadeiras
que já não lembramos mais...
Ser mãe é ter que estar sempre disponível para
os filhos e muitas vezes, para o pai dos filhos...
Ser mãe é ver crescer uma "pessoinha"
que passa a ter gosto e vontade própria.
Ser mãe é não entender direito as "modernidades"
dos jovens de hoje...
Ser mãe é dizer: ..."no meu tempo não era assim..."
Ser mãe é apesar disso e por isso tudo,
ficar feliz quando deitamos e vimos que estamos deixando no mundo alguém melhor que nós...


Que no dia das Mães os filhos cubram-lhes a frontes de beijos e lembrem da bondade e ternura! Pois uma Mãe, faz você sentir a vida, a beleza das cores, a harmonia, o encanto e a doçura! "Uma mãe não é uma pessoa na que possa apoiar-se, senão uma pessoa que faz que não precise apoiar-se em ninguém." Feliz dia das mães.
obrigado por ter se entregado a alguém
que amava,
ou por quem sentia apenas tesão
ou nenhum dos dois,
e eu nasci.
Mãe.
obrigado por me carregar no ventre,
depois no colo,
me entregado seus seios
para que meu primeiro alimento
também viesse de dentro de você.
Mãe
obrigado por acompanhar meu crescimento,
chorar quando adoeci,
sorrir quando eu brincava,
se emocionar quando eu brilhava
e se entristecer quando eu fracassava.
Mãe
desculpe por eu ter crescido
e esquecido tudo tão depressa.
Perdoe,
as vezes que não chorei quando ficastes doente,
não ter ficado contente na sua alegria,
e não ter me emocionado quando bravamente lutava para viver,
não ter me entristecido quando a perdi
pelo esquecimento
e depois pela morte
Mãe
eu ainda sou seu filho
e hoje lamento estar lembrando, apenas, porque vi e ouvi os anúncios de presentes,
Como pensar em presente, se sempre estive ausente?
Eu não soube ser filho.
Mas você, querendo ou não, teve que ser mãe.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Postar um comentário